Pinus taeda: a observação que deu início ao sucesso da espécie


Pieter W. Prange*

Um dos aspectos fundamentais e menos conhecidos no Brasil, para atingir o presente sucesso no estabelecimento das florestas de Pinus taeda, como a principal espécie florestal de pinheiros exóticos no Sul do País, foi a simples mas oportuna solução encontrada para obter a maior e melhor uniformidade na germinação das suas sementes. A germinação dessa espécie é notoriamente heterogênea, se comparada ao Pinus elliottii, e isto era um dos principais entraves para o desenvolvimento daquela espécie.

Ao fazer a cobertura dos canteiros, com acículas minusculamente bem picadas, originárias e colhidas dos pequenos talhões experimentais já existentes a partir de 1960 em Lages, na antiga companhia Olinkraft Celulose e Papel Ltda., os técnicos perceberam que a germinação não apenas era mais precoce, mas muito mais uniforme se comparada com outros métodos de cobertura dos canteiros de semeadura, então em vigor, dentre os quais a serragem era a mais utilizada. A vantagem era dupla, pois a germinação além de muito mais uniforme e acelerada no estágio “palito de fósforo”, houve ainda introdução de esporos de micorrizae, um fungo benéfico e necessário, que vive em simbiose com os Pinus. Esse fungo passou, assim, a disseminar-se naturalmente também entre as futuras mudas e no viveiro, o que é fundamental para o desejável e rápido desenvolvimento das mudas em árvores no campo, onde o referido fungo não é encontrado naturalmente.

Este é um dos muitos sucessos anônimos que muito contribuiu para a definitiva escolha do Pinus taeda sobre seus demais congêneres no Sul do País, especialmente pela indústria de celulose e papel Kraft de fibra longa.

O P. taeda por ter um teor de resinas relativamente muito mais baixo se comparado ao P. elliottii tornou-se então a espécie preferida para as novas florestas industriais e como decorrência passou também a ser preferido pela indústria de transformação, como a moveleira. Por ter sido resolvido de modo simples, mas eficaz, o problema da germinação heterogênea, que impedia o sucesso do estabelecimento daquela promissora espécie florestal tornou-se a chave do atual sucesso do cultivo daquela espécie florestal no Brasil.

*Consultor em Silvicultura.